Faturação eletrónica

e-Tax Compliance na Grécia – myDATA

frança fatura grécia

A implementação do novo sistema de e-Tax Compliance na Grécia chegará finalmente em novembro deste ano. A partir dessa data, as empresas deverão transmitir a sua informação fiscal de forma eletrónica através da plataforma nacional myDATA. 

A digitalização do sistema fiscal grego foi aprovada em 2019 através da lei Νόμος ν. 4646/2019. Contudo, a crise sanitária provocada pela pandemia da COVID-19 atrasou a sua implementação. 

A autoridade fiscal da Grécia, The Independent Authority for Public Revenue (IAPR), consciente da dificuldade de adaptação das empresas ao novo sistema de relatório fiscal eletrónico, concedeu mais tempo às empresas, atrasando a sua implementação.

Tabela de conteúdos [Esconder]

O que é My Digital Accounting & Tax Application – myDATA

myDATA é a plataforma criada pela IAPR para digitalizar a declaração de informação fiscal e contabilística das empresas através do envio de livros eletrónicos.

Com a implementação de myDATA, pretende-se facilitar o cumprimento das obrigações fiscais das empresas, assim como obter uma maior transparência nas transações, gerando um clima de confiança entre a administração e as empresas, de modo a reduzir a evasão e a fraude fiscais.

A implementação de myDATA pressupõe um grande avanço na transformação digital da administração tributária grega.

Que empresas devem declarar através de myDATA

Todas as empresas que realizam a contabilidade segundo as normas contabilísticas gregas. Que informação fiscal é preciso enviar através de myDATA

As empresas devem reportar: 

  • Resumo de documentos de receitas e despesas (sinopse)
  • Classificação de receitas e despesas segundo o seu tipo
  • Entradas contabilísticas necessárias para determinar os resultados contabilísticos e fiscais anuais (por exemplo, recibo de vencimento, depreciação, receitas/despesas acumuladas no final do ano)

A partir da declaração da informação contabilística e fiscal facultada a myDATA, são gerados e atualizados dois livros eletrónicos:

  • Livro de registo (Detailed Book): contém os dados dos documentos de receitas e/ou despesas, a classificação desses documentos, assim como as entradas de ajuste contabilístico.
  • Livro de resumo (Summary Book): documento que reflete os resultados fiscais e contabilísticos da empresa de forma agregada, baseada na informação fornecida no Livro de registo.

Qual é a data de início da obrigação 

A partir de 1 de novembro de 2021, todas as empresas devem transmitir a informação contabilística requerida pela IAPR através de myDATA. 

Como transmitir a informação a myDATA

A partir da informação obtida do ERP, a solução de Global Compliance da EDICOM transforma os dados no formato requerido pela IAPR e envia-os para myDATA. myDATA gera os ebooks contabilísticos e valida a informação através de uma série de avisos. A plataforma da EDICOM integra os recibos no ERP da empresa, informando sempre sobre estado das comunicações. Todo o processo se realiza de forma imediata e transparente. 

O governo estabeleceu 4 métodos diferentes para as empresas enviarem informações:

  • através dos ERP
  • através dos fornecedores de fatura eletrónica
  • manualmente através da plataforma myDATA (apenas para pequenas empresas)
  • caixas registadoras certificadas para as vendas a retalho (certified cash registers for retail sales transactions). 

Quem deve enviar os dados através de myDATA e com que frequência

  • Os documentos de receitas (por exemplo, faturas de contas por cobrar) devem ser reportados e classificados pelo emissor em tempo real.
  • Os documentos de despesas (por exemplo, faturas de contas por pagar), de um modo geral, não têm de ser reportados pelo recetor, dado que estes documentos já foram reportados pelo emissor.  Como tal, o recetor deve classificar essa despesa. Contudo, se o emissor não tiver informado o documento de receitas (por exemplo, a fatura emitida por uma empresa estrangeira; ou se o emissor simplesmente não tiver cumprido com as suas obrigações legais), o recetor também deve informar a despesa antes de a classificar. A despesa deve ser reportada e classificada antes do fim do período de apresentação da declaração de IVA (último dia do mês seguinte), exceto nos casos em que o emissor do documento não tenha apresentado o documento por omissão (não porque o emissor esteja isento desta obrigação). No segundo caso, o recetor deve informar e classificar esta despesa dentro dos 2 meses seguintes ao fim do prazo para a apresentação da declaração de IVA.
  • Todas as empresas devem apresentar os registos contabilísticos necessários para determinar os resultados contabilísticos e fiscais anuais (recibo de vencimento, depreciação, etc.). Os registos contabilísticos são transmitidos até ao final do sexto mês seguinte ao final do ano fiscal. 
  • Quanto ao recibo de vencimento, deve ser apresentado dentro do prazo da declaração de retenção.

De momento, o novo modelo de declaração digital de impostos coexistirá com as declarações de IVA atuais. A Agência Tributária Grega IAPR comparará os e-books contabilísticos da plataforma myDATA com as declarações de IVA. Na eventualidade de discrepâncias, os contribuintes têm um prazo de 2 meses para corrigir esses erros. A não correção dos erros no período de tempo estipulado pode desencadear a execução de auditorias fiscais por parte do fisco.

 

Saiba mais sobre os potenciais benefícios para a sua empresa.

Contacte um representante da EDICOM.

Pode também estar interessado em ler sobre...

Que países trocam faturas eletrónicas através do Peppol

Descubra que países beneficiam das vantagens oferecidas pela infraestrutura PEPPOL para a troca de faturas eletrónicas.

Como é a fatura eletrónica no Paraguai

Conheça o funcionamento do Sistema Integrado de Faturação Eletrónica Nacional SIFEN do Paraguai.

A implementação do GOVEIN19 está a revelar-se um êxito em toda a Europa

A EDICOM implementa com êxito o projeto GOVEIN19 para o desenvolvimento da faturação eletrónica em hospitais europeus.