Faturação eletrónica

Como é a fatura eletrónica no Brasil? NF-e, NFS-e e CT-e

fatura eletrónica Brasil

No Brasil, a adoção da fatura eletrónica tem sido fundamental para modernizar o sistema fiscal e facilitar as transações comerciais entre empresas. A fatura eletrónica no Brasil é composta por vários tipos de documentos digitais, cada um concebido para cobrir diferentes tipos de transações e obrigações fiscais. 

Os principais documentos eletrónicos utilizados no Brasil são a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e o Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e).

Índice de conteúdos [Esconder]

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

A NF-e é o equivalente eletrônico de uma fatura física tradicional. É um documento digital emitido e armazenado eletronicamente que registra as operações de venda de mercadorias entre empresas. 
Para emitir uma NF-e, as empresas devem usar um software emissor autorizado pelo Ministério da Fazenda e assinar digitalmente o documento com um certificado digital válido. A NF-e garante a autenticidade e a integridade da transação comercial, facilitando o cumprimento das obrigações fiscais.

No Brasil, o sistema de Nota Fiscal Eletrônica, conhecido como "NF-e" (Nota Fiscal Eletrônica), revolucionou a forma como as empresas emitem e gerenciam suas notas fiscais. Por meio desse sistema, as faturas são geradas, transmitidas e arquivadas eletronicamente, eliminando a necessidade de documentos físicos e agilizando o fluxo de informações.

A Nota Fiscal Eletrônica é um documento XML emitido e armazenado eletronicamente, que tem como objetivo documentar a circulação de mercadorias ou serviços entre as partes que oferecem e solicitam essas mercadorias ou serviços nos diferentes estados do Brasil.

Esse documento será enviado pelo Web Services à SEFAZ que, após a validação, emitirá a autorização correspondente, informando a empresa emissora. Nesse momento, com a NF-e autorizada, a empresa emissora pode emitir o DANFE (Documento Auxiliar de NF-e), que é um relatório de despacho relacionado à nota fiscal autorizada e que deve acompanhar a mercadoria durante o transporte.

A NF-e autorizada deve ser remetida ao cliente, funcionando como uma fatura oficial que detalha a transação comercial entre comprador e vendedor.

A validade fiscal e jurídica da nota fiscal é garantida pela assinatura digital do emissor e do receptor e pela validação do documento pelas autoridades fiscais brasileiras (Secretaria da Fazenda - SEFAZ), como uma etapa anterior à transação comercial.

Nota Técnica 2023.001 - Tributação Monofásica sobre Combustívei  

Foi publicada a NT 2023.001 versão 1.51 que introduz mudanças na regra de validação LA17-20 (Artigo/Combustível) e atualiza a documentação relativa à descrição do campo pBIO.

Novidades na versão 1.51:

  • Atualização da norma LA17-20: A exceção 2 da regra LA17-20 foi modificada e agora utiliza o campo (tag:indfinal) ) igual a 1 como parâmetro de validação, em vez do campo (indIEdest) igual a 9.
  • Atualização sobre o campo pBIO: Todas as observações foram atualizadas para esclarecer que este campo também ajuda a calcular o volume de Etanol Anidro a ser misturado com Gasolina A, ou o volume de Etanol Anidro misturado em operações com Gasolina C.

Com a publicação da versão 1.51, também foi atualizada a tabela de combustíveis sujeitos à tributação monofásica no Relatório Técnico 2023.003 versão 1.03.

Prazo de implementação:

  • No ambiente de teste: até 01/07/2024.
  • No ambiente de produção: 02/09/2024.

Nota Técnica 2024.002 - Evento de Conciliação Financeira – ECONF

No portal de Nota Fiscal Eletrônica Nacional foi publicada a Nota Técnica 2024.002 versão 1.00, que introduz o evento “Conciliação Financeira” (ECONF), permitindo vincular transações financeiras aos processos NF-e/NFC-e que ocorram em datas posteriores à emissão do documento fiscal.

Finalidad de la nota técnica:
A utilização do Evento de “Conciliação Financeira” (ECONF) é opcional e foi criada para ajudar as empresas a demonstrar o cumprimento tributário entre a informação financeira, os meios de pagamento e os documentos fiscais emitidos.

Mudanças na versão 1.00:

•  Para o modelo 55 (NF-e): A SEFAZ Virtual do Rio Grande do Sul (SVRS) fornece o serviço web de eventos, que será utilizado pelos contribuintes de todas as unidades federativas (UF) para a autorização do ECONF.

•  Para o modelo 65 (NFC-e): Os contribuintes deverão utilizar o serviço web de eventos próprios das unidades federativas (UF), utilizando a mesma URL do evento de cancelamento.

O serviço web de registro de eventos de “Conciliação Financeira” (ECONF) conta com uma interface genérica complementada com uma área específica para cada tipo de evento.

  • Esquema XML: envEventoNFe_v9.99.xsd
  • Esquema XML – parte específica: layoutEventoConciliacaoFinanceira_v1.00.xsd
  • Código do evento: 110750 – “ECONF

O serviço web de registro de eventos “Cancelamento de Conciliação Financeira” (ECONF) também conta com uma interface genérica, complementada com uma área específica para cada tipo de evento.

  • Esquema XML – parte específica: layoutEventoCancelamentoConciliacaoFinanceira_v1.00.xsd
  • Código do evento: 110751 – “Cancelamento de Conciliação Financeira”

Prazo de implementação:

  • No ambiente de homologação: 01/07/2024
  • No ambiente de produção: 02/09/202

Procedimento para geração e validação de uma nota fiscal eletrônica:

  1. O arquivo XML é assinado com um certificado digital.
  2. A fatura eletrônica é transmitida pelo Web Service para a SEFAZ.
  3. A SEFAZ faz um arquivo de pré-validação e devolve uma autorização de uso para que as mercadorias possam ser movimentadas.
  4. Para cobrir legalmente o trânsito da carga, a empresa imprime o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal eletrônica), em papel normal.
  5. O DANFE é um documento extremamente importante que, embora gerado eletronicamente e validado pela SEFAZ usando o mesmo meio, deve acompanhar as mercadorias em formato de papel durante sua movimentação no país.

Escreva-nos qualquer dúvida e nossa equipe comercial o atenderá o mais rápido possível:

Apenas são admitidos domínios corporativos

Os dados pessoais recolhidos serão utilizados pelas empresas do Grupo EDICOM para atender às consultas efetuadas e/ou gerir os serviços solicitados. Você pode exercer os direitos de acesso, retificação, oposição, limitação e portabilidade de seus dados de acordo com as disposições da política de privacidade.

O nome não pode estar vazio É preciso entrar na empresa Deve introduzir um número de telefone É necessário introduzir uma descrição Terá de introduzir a sua posição Aceite as condições

Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e)

A NFS-e é o equivalente eletrónico à fatura de serviços. É utilizado para registar transações de serviços entre empresas e profissionais independentes. Assim como a NF-e, a NFS-e é emitida e armazenada eletronicamente, por meio de um software autorizado pela autoridade fiscal. 

A NFS-e ajuda a simplificar a tributação relacionada com os serviços prestados e fornece um registo digital das transações comerciais.

Nova Norma Nacional para a Faturação Eletrónica de Serviços no Brasil

O cenário em relação à Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e) é caracterizado pela pluralidade de normas e requisitos criados por cada município, dada a autonomia que estes possuem na elaboração dos seus procedimentos para a cobrança do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN).

Neste contexto, cada cidade desenvolveu os seus próprios requisitos para satisfazer as suas necessidades específicas, o que criou problemas e dificuldades às empresas emissoras de NFS-e que operam em muitas cidades, uma vez que tiveram de adaptar os seus sistemas a cada uma das normas, desenhos e outros requisitos dos municípios.

A criação do Convênio NFS-e, a 30 de junho de 2022, assinado pela Receita Federal Brasileira (RFB), Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e outras associações relevantes, instituiu o Sistema Nacional de NFS-e (Nota Fiscal de Serviço Eletrônica), com o objetivo de criar uma norma nacional de NFS-e em todo o país. 

As características mais relevantes do sistema incluem:

  • Emissor Público Web: Possibilidade de gerar a NFS-e através do Portal Web, de forma fácil e gratuita. 
  • Emissor Público Mobile: Versão simplificada do emissor web, disponível para aplicações móveis. 
  • Emissão via API: Possibilidade de conectividade dos sistemas empresariais dos contribuintes com os servidores da Secretaria das Finanças Nacional (SEFIN), responsável pela aprovação das NFS-e. 
  • Declaração de Prestação de Serviço (DPS): Documento anterior enviado à SEFIN para aprovação e conversão numa NFS-e. (Substitui o conceito de Recibo Provisório de Serviço (RPS), atualmente em vigor para a emissão de NFS-e local)
  • Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): Documento de existência digital, utilizado para documentar operações de prestação de serviços. 
  • Eventos NFS-e: Possibilidade de registar eventos numa NFS-e já autorizada, tais como: cancelamento, substituição, carta de correção, entre outros. 
  • Documento Nacional de Arrecadação (DNA): Documento de cobrança das tributações ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) válido para todos os municípios participantes do sistema. 
  • Ambiente de Dados Nacional (ADN): Repositório nacional das NFS-e aprovadas neste Sistema. 
  • Portal da Nota Fiscal de Serviço Eletrônica: Ambiente para consulta de documentos gerados entre outras consultas sobre o sistema.

Para além das características acima referidas, existem vários módulos a que os municípios podem aderir após assinarem um acordo de interesse de adoção (os municípios continuarão a ter autonomia para aderir ou não a esse Sistema), escolhendo os módulos que mais lhes interessam, à exceção da adesão ao Ambiente de Dados Nacional (AND), que será obrigatória.

Além disso, as NFS-e emitidas neste sistema podem ser partilhadas com as partes envolvidas nesse processo (município, beneficiário do serviço, prestador do serviço, contabilista, etc.). 

Outro aspeto importante da adesão à AND é que, se um determinado município não quiser interromper o seu processo de emissão de NFS-e local, poderá continuar a trabalhar dessa forma, comprometendo-se a enviar as NFS-e recebidas e aprovadas dos seus contribuintes para o AND, permitindo que os contribuintes locais continuem a emitir as suas NFS-e numa única norma. 

A implementação do Sistema Nacional de NFS-e seguirá 4 fases obrigatórias e uma voluntária:

  1. Assinar e devolver o Termo de Adesão
  2. Configurar a web do Painel da Administração Municipal
  3. Escolha e utilização dos produtos.
  4. Adaptar a legislação local à norma nacional
  5. Adaptar a infraestrutura local à norma nacional. (opcional)
  • Devido aos grandes benefícios do projeto, municípios como São Paulo, Salvador e Florianópolis já aderiram ao projeto, o que permitirá unificar e racionalizar a heterogeneidade dos atuais sistemas de emissão de faturas de serviço em todo o país, para melhor gestão e controlo do processo pelas partes envolvidas. 

Atualização da NFS-e em Brasília

A emissão de NFS-e (Nota Fiscal de Serviço Eletrônica) em Brasília foi modificada a partir de 1 de janeiro de 2023.

Até ao momento, os contribuintes obrigados a emitir faturas dos seus serviços e produtos em Brasília podiam fazê-lo por meio da NF-e. Uma nota fiscal para ambos os tipos de operações comerciais dentro do distrito federal. Ao contrário de outros municípios do país, onde é preciso emitir dois modelos: a NFS-e para faturar serviços e a NF-e para faturar produtos. A primeira é enviada para a câmara municipal da cidade onde a empresa está localizada e a segunda é enviada para a Secretaria de Fazenda (SEFAZ).

Como será emitida a NFS-e em Brasília?

O Ministério da Economia do Distrito Federal anunciou que vai implementar, a partir de 1 de novembro de 2022, o Sistema de Gestão, Fiscalização e Cobrança de Serviços Tributários – ISS. Com a mudança, será utilizado um modelo próprio de Fatura Eletrónica de Serviços (NFS-e). O novo sistema permitirá a emissão de NFS-e via online ou webservice. 

A NFS-e será emitida utilizando a norma XML. As comunicações webservice com a câmara municipal de Brasília utilizarão a versão 2.04 da norma nacional da Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais - ABRASF, com o objetivo de padronizar as comunicações entre contribuintes e municípios por meio de uma norma única de NFS-e.

Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

O CT-e é um documento eletrónico utilizado para registar o transporte de mercadorias. É obrigatório para empresas de transporte de carga e logística que operam no Brasil. O CT-e facilita a rastreabilidade e o controlo das operações de transporte, permitindo às autoridades fiscais verificar a legitimidade das transações e assegurar o cumprimento das normas de transporte de mercadorias.

Versão CT-e XML 4.0 aprovada no Brasil

O Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ), através do ATO COTEPE 123, de 6 de dezembro de 2022, aprovou o novo Manual de Orientações do Contribuinte, o que implica a adoção da nova versão 4.0 do XML CT-e.

O CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) é o documento fiscal eletrónico utilizado no Brasil para documentar o transporte de mercadorias.

A atualização do CT-e vai afetar as empresas emissoras e recetoras de CT-e, CT-e OS (Conhecimento de Transporte Eletrônico Outros Serviços) e de GTVe (Guia de Transporte de Valores Eletrônica).

Alterações na nova versão CT-e XML 4.0 - As principais alterações introduzidas pela nova versão do CT-e XML 4.0 são:

  • Consolidação das notas técnicas do MOC 3.00b
  • Eliminação do cabeçalho SOAP dos serviços web
  • Eliminação dos CTe de Recusa e Cancelamento
  • Eliminação do Serviço de Autorização Assíncrono
  • Ampliação do Número de Sequência de Eventos
  • Eliminação do serviço de Inutilização

O ambiente de testes criado pela Secretaria da Fazenda (SEFAZ) já está operacional desde abril de 2023 para as empresas que desejarem aderir. Do mesmo modo, o ambiente de produção também está disponível, desde junho de 2023, para as transportadoras que já pretendam emitir o seu CT-e no novo formato.

O ATO COTEPE estabelece um período de coexistência entre a nova versão do CT-e XML 4.0 e a versão 3.0, cuja emissão permanecerá em vigor até 31 de janeiro de 2024. O objetivo é dar às transportadoras de todo o país tempo suficiente para darem o salto tecnológico para a versão 4.0.

Vantagens da Fatura Eletrónica no Brasil

A fatura eletrónica no Brasil, através da NF-e, NFS-e e CT-e, oferece uma série de benefícios para as empresas:

  • Redução de custos: Eliminação de gastos associados à impressão e ao armazenamento de documentos físicos.
  • Agilidade e eficiência: Processos automatizados que reduzem o tempo dedicado à gestão de documentos fiscais.
  • Controlo fiscal: Maior transparência e cumprimento das obrigações tributárias.

A adoção da fatura eletrónica no Brasil foi um passo importante para a digitalização e modernização do sistema fiscal do país. Facilita as transações comerciais e promove um ambiente empresarial mais eficiente e competitivo.

EDICOM: Solução integrada para emissão e receção de NF-e, NFS-e e CT-e

A EDICOM é um parceiro tecnológico especializado em soluções de Intercâmbio Eletrónico de Dados (EDI) e Faturação Eletrónica. Destaca-se pela sua grande capacidade de adaptação, oferecendo soluções personalizadas para cumprir qualquer requisito global. Esta agilidade é o resultado da nossa Gestão da Mudança eficaz, que nos permite adaptar-nos rapidamente a cada cliente.

A nossa plataforma internacional de faturação eletrónica implementa funcionalidades específicas para integrar os seus sistemas de gestão e contabilidade com os requisitos locais de cada país em que operamos. Simplifique e agilize a emissão e a receção de faturas eletrónicas com um fornecedor global capaz de integrar, validar sintaticamente, validar legalmente e conservar documentos.

Vantagens da EDICOM International Compliance Platform

Cumprir os vários requisitos das agências governamentais nos países onde opera a partir de uma única plataforma integrada. A EDICOM oferece soluções para simplificar e agilizar a emissão e receção de faturas eletrónicas, garantindo o cumprimento dos regulamentos fiscais em cada jurisdição.

  • Integração: A nossa solução de integração foi concebida para se ligar diretamente ao ERP da sua empresa, permitindo mapeamentos precisos que traduzem automaticamente a informação gerada no sistema para o formato eletrónico exigido por cada autoridade tributária. Isto inclui a geração de documentos nas normas XML, UBL, SAF-T e outras, garantindo uma transição eficiente dos dados.
  • Segurança: Após a validação inicial, aplicamos uma série de mecanismos para garantir o valor legal das mensagens eletrónicas. Isto implica a utilização de assinaturas eletrónicas avançadas, validações cronológicas e outros certificados necessários para o reconhecimento legal dos documentos. Preparamos cada documento para envio de forma precisa e segura.
  • Validação: Os dados são submetidos a rigorosos processos de validação sintática e semântica para garantir que cumprem as especificações e a regulamentação do país de destino. Isto assegura que os documentos estão corretos e precisos antes de serem entregues às autoridades competentes.
  • Conectividade: A nossa plataforma gere eficientemente o envio das mensagens às autoridades tributárias e aos destinatários finais, utilizando os protocolos adequados a cada tipo de transmissão (WebService, AS2, HTTPS, FTP, etc.). Garantimos a segurança e a integridade dos dados durante todo o processo de comunicação.
  • Armazenamento: Os livros de IVA e as notificações são arquivados nos nossos serviços de armazenamento eletrónico, concebidos para garantir a integridade e segurança dos documentos a longo prazo. Cumprimos os requisitos legais de retenção e proporcionamos acesso rápido e seguro a estes registos quando for necessário.
  • Ambientes do Utilizador: Oferecemos vários ambientes de utilizador adaptados às operações específicas de cada país em que a sua empresa opera. Esta abordagem personalizada garante uma experiência eficiente e compatível com os requisitos locais em diferentes jurisdições.

Se desejar saber mais sobre a fatura eletrónica no Brasil, não hesite em contactar a nossa equipa comercial. 

Apenas são admitidos domínios corporativos

Os dados pessoais recolhidos serão utilizados pelas empresas do Grupo EDICOM para atender às consultas efetuadas e/ou gerir os serviços solicitados. Você pode exercer os direitos de acesso, retificação, oposição, limitação e portabilidade de seus dados de acordo com as disposições da política de privacidade.

O nome não pode estar vazio É preciso entrar na empresa Deve introduzir um número de telefone É necessário introduzir uma descrição Terá de introduzir a sua posição Aceite as condições

Quer saber mais sobre faturação eletrónica na América Latina?

Envie-nos as suas perguntas sobre os modelos de faturação eletrónica na América Latina e entraremos em contacto consigo.

Deixe-nos as suas questões

Deadlines futuros em Brasil

Mantenha-se a par das datas-chave de entrada em vigor das obrigações fiscais e de faturação eletrónica em todo o mundo.

EDICOM News Portugal | Descobre mais sobre Faturação eletrónica

Como funciona o Regime de Fatura Eletrónica Online - FEL da Guatemala

Explicamos-lhe todos os detalhes sobre o novo sistema de faturação eletrónica FEL

A fatura eletrónica B2G nos estados federados da Alemanha

Situação da implementação da fatura eletrónica B2G nos estados federais da Alemanha

A fatura eletrónica B2B em França

França avança na implementação do novo modelo de faturação eletrónica B2B e e-Reporting