Faturação eletrónica

O estado da fatura eletrónica no Panamá

panama einvoicing

O Panamá iniciou a implementação da fatura eletrónica em 2016 através do Sistema de Fatura Eletrónica do Panamá (SFEP).

O arranque do SFEP é composto por 4 fases: Conceção, Construção, Plano Piloto Voluntário e Massificação. Uma vez finalizado o Plano Piloto onde participaram 43 empresas, desde o dia 1 de julio o sistema de nota fiscal eletrônica do Panamá iniciou a fase de massificação voluntaria.

O Sistema de Fatura Eletrónica do Panamá (SFEP) é regulado pelo Decreto Executivo N.º 367 que estabelece os requisitos legais para a adoção da fatura eletrónica por parte das empresas que estão excluídas do uso de Equipamentos Fiscais pela Dirección General de Ingresos, autoridade fiscal do Panamá. 

A normativa técnica encontra-se na Ficha Técnica, onde se descrevem formatos, procedimentos e normas relacionados com o uso da fatura eletrónica. 

Tabela de conteúdos [Esconder]

Sistema de Fatura Eletrónica do Panamá (SFEP)

Atualmente, o SFEP convive com os Equipamentos Fiscais. Os equipamentos fiscais são o sistema usado até agora no país para a emissão de faturas. São aparelhos eletrónicos autorizados pela DGI, que servem para processar, registar e armazenar os comprovativos fiscais. Estes aparelhos estão ligados a uma caixa registadora fiscal que regista o montante total dos impostos a declarar juntamente com uma impressora fiscal que imprime os comprovativos fiscais.  
Com a massificação da fatura eletrónica, os equipamentos fiscais serão substituídos pelo SFEP. 

 

Quem pode faturar eletronicamente?

Todas as pessoas singulares e coletivas que solicitem à Dirección General de Ingresos o uso da fatura eletrónica para documentar as suas operações de transferências, venda de bens e prestação de serviços. 

 

Características da fatura eletrónica 

 

Formato

Utiliza o formato eletrónico XML de acordo com a Ficha Técnica estabelecida pela DGI. 

Controlo fiscal

Cada fatura deve ser identificada de forma unívoca através do Código Único de Fatura Eletrónica (CUFE). 

Armazenamento 

As faturas eletrónicas tanto emitidas como recebidas deverão ser armazenadas durante 5 anos, até se cumprir a prescrição das tributações de ITBMS ou IVA.


Assinatura Eletrónica

A validade legal das faturas será garantida através da assinatura eletrónica qualificada do emissor assegurando a autenticidade e não rejeição das mesmas. 

 

Impulso para a transformação digital do Panamá

Com a implementação da fatura eletrónica, o Governo Nacional pretende: 

  • Incentivar a economia digital.
  • Apoiar a inovação dos processos empresariais e aumentar a competitividade do setor privado.
  • Facilitar o cumprimento das obrigações tributárias. 

O SFEP integra-se na estratégia global do governo que tem como objetivo converter o Panamá num “Hub” logístico a nível mundial. 

A localização estratégica da República do Panamá juntamente com as suas políticas fiscais atrativas tornaram-na um ponto nevrálgico do comércio internacional, transformando-se num destino cada vez mais preferido pelas multinacionais para situar os seus Centro de Serviços Partilhados. 

A digitalização da sua administração através da fatura eletrónica será um grande impulso para a sua Estratégia Logística Nacional 2030.

Saiba mais sobre os potenciais benefícios para a sua empresa.

Contacte um representante da EDICOM.

Pode também estar interessado em ler sobre...

A Polónia torna obrigatório o uso da fatura eletrónica B2B

A massificação terá início de forma voluntária em outubro de 2021 e de forma obrigatória a partir de 2023.

Estado da faturação eletrónica na Escandinávia

Analisámos o estado atual da fatura eletrónica na Suécia, Finlândia, Noruega e Dinamarca.

As faturas eletrónicas em Portugal devem ter a assinatura digital

A partir de outubro, todas as faturas eletrónicas e as faturas em PDF só serão válidas se estiverem assinadas digitalmente